Corrupção e pensamento social brasileiro: abordagens e críticas a partir das interpretações de Sérgio Buarque de Holanda e Raymundo Faoro

Anna Carolina de Oliveira Azevedo

Resumo


O enfrentamento da corrupção é um tema prioritário na agenda contemporânea. Um dos elementos desse cenário é denominado globalização que, ao intensificar como relações entre países e internacionalizar como práticas comerciais, intensifica também como interações entre indivíduos e práticas relacionadas a atos de corrupção comuns a transnacionais. No Brasil, como denúncias de corrupção dominada ou noticiária há algum tempo, em uma monotonia regular, mas, dado o modo de produção e difusão de notícias, nem sempre a abordagem traduz-se no debate público sobre causas, efeitos e possíveis causas para problemas . Nesse contexto, o presente artigo tem como objetivo compreender a corrupção na sociedade e no Estado brasileiro, por meio da análise das agendas de pesquisa sobre corrupção e da problematização de conceitos consagrados no pensamento social brasileiro vinculado à análise dessa temática. Para tanto, opte-se por um estudo bibliográfico de obras de Sérgio Buarque de Holanda e Raymundo Faoro, autores clássicos do pensamento social brasileiro. A partir desse estudo, entende-se que é limitado e entende-se socialmente o fenômeno de corrupção de idéias-força pessoal e patrimonial, como quais informações uma interpretação culturalista e uma avaliação valorativa do Estado e mercado como realidades pretensamente opostas. Como desdobramento, tem associação, opinião pública brasileira, corrupção ao Estado - funcionários públicos e políticos - sem visibilidade aos agentes do mundo privado, sejam indivíduos,


Texto completo:

PDF

Referências


BEZERRA, Marcos Otávio. Corrupção: um estudo sobre poder público e relações pessoais no Brasil. Rio de Janeiro: Delume-Dumará: ANPOCS, 1995.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. 3. ed. Rio de Janeiro: Globo, 2001.

FILGUEIRAS, Fernando. A corrupção na política: perspectivas teóricas e metodológicas. Cadernos Cedes, IUPERJ, nº 5, 2006.

______. A tolerância à corrupção no Brasil: uma antinomia entre normas morais e prática social. Opinião Pública, Campinas, vol. 15, nº 2, Novembro, 2009, p.386-421.

______. Marcos teóricos da corrupção. In: AVRITZER, Leonardo [et al.], (org.). Corrupção: ensaios e críticas. 2 ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012, p. 299-306.

GONÇALVES, Carolina. Avaliação positiva do governo Dilma cai para 7,7% em julho, mostra pesquisa. EBC Agência Brasil. 21 de jul. de 2015. Disponível em: . Acesso em 12 abr. 2017.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MATOS, Olgária Chain Féres. Transparência. In: AVRITZER, Leonardo [et al.], (org.). Corrupção: ensaios e críticas. 2 ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012, p. 117-130.

RICUPERO, Bernardo. Sete lições sobre as interpretações do Brasil. 2. ed. São Paulo: Alameda, 2011.

SOUZA, Jessé. A tolice da inteligência brasileira: ou como o país se deixa manipular pela elite. São Paulo: LeYa, 2015.

TRANSPARENCY INTERNATIONAL. Global Corruption Barometer: Brazil. 2013. Disponível em: . Acesso em 10 abr. 2017.

VIANNA, Luiz Werneck. Weber e a interpretação do Brasil. Novos Estudos, CEBRAP, nº 53, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.36428/revistadacgu.v9i15.94

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista da CGU

  


Para sugestões, comentários, dúvidas ou relatar problemas, entre em contato conosco.  

 
Licença Creative CommonsO conteúdo deste periódico está sob Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
 Os conteúdos publicados até 2019 têm permissão genérica para uso e compartilhamento com indicação obrigatória de autoria e origem.