Legislação Colaborativa: o processo em foco na produção de políticas anticorrupção

Guilherme de Jesus France

Resumo


Combater a corrupção se tornou, nos últimos anos, uma das principais prioridades dos brasileiros. Ainda assim, são poucas as maneiras de o cidadão comum contribuir para esses esforços concretamente. Existem limitações e lacunas na legislação brasileira que prejudicam esse maior engajamento popular. Em virtude disso, a principal forma de atuação bem-sucedida da população brasileira, de maneira mais ampla, tem sido no apoio a projetos de lei de iniciativa popular. Esse instrumento ainda encontra obstáculos para se concretizar, todavia. É objetivo deste artigo apresentar, brevemente, estas experiências recentes e demonstrar, pelo exemplo das Novas Medidas contra a Corrupção, o potencial de uma participação popular mais profunda na produção de políticas públicas anticorrupção.


Texto completo:

PDF

Referências


AITAMURTO, T.; CHEN, K. The value of crowdsourcicng in public policymaking: epistemic, democratic and economic value. The Theory and Practice of Legislation, v. 5, n. 1, 2017, p. 55-72.

AUGUSTO, L. G. H. Participação social no processo legislativo federal: um estudo da Comissão de Legislação Participativa (CLP), da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e da Iniciativa Popular de Lei (Dissertação de Mestrado. Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas, 2015.

ITS. Relatório – Projetos de lei de iniciativa popular no Brasil, 2017. Disponível em: . Acesso em 16 nov. 2018.

MOHALLEM, M. F.; BRANDÃO, B.; VELOSO, I.; FRANCE, G.; ANGELICO, F.; MARTINI, M.; ARANHA, A. L.; WANICK, L. Novas Medidas contra a Corrupção. Rio de Janeiro: Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getulio Vargas, 2018.

ROSSINI, P. G. C.; OLIVEIRA, V. V. E-Democracy and Collaborative Lawmaking: the discussions of the political reform in Brazil. International Journal of Communication, v. 10, 2016, p. 4620-4640.

ROWE, G.; FREWER, L. Public Participation Methods: a framework for evaluation. Science, Technology and Human Values, v. 25, n. 1, 2000, p. 3-29.

SOUZA, C. A.; STEIBEL, F.; LEMOS, R. Notes on the creation and impacts of Brazil’s Internet Bill of Rights. The Theory and Practice of Legislation, v. 5, n. 1, 2017, p. 1-22.

SPECK, B. W. A compra de votos – uma aproximação empírica. Opinião Pública, v. 9, n. 1, 2003, p. 148-169.

WAMPLER, B. Contentious Politics and Participatory Democracy in Brazil. Política & Sociedade, v. 13, n. 28, 2014, p. 199-224.

WHITAKER, C. Ficha Limpa – uma lei a defender? Estudos Avançados, v. 30, n. 88, 2016, p. 231-245.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Clique aqui para pesquisar os artigos por título.