Análise do processo de implantação dos Consórcios Intermunicipais de Saúde no estado do Tocantins a partir da Reforma do Estado nos anos 90

Carlos Vicente Berner

Resumo


Este artigo objetiva analisar o processo de implantação dos Consórcios Intermunicipais de Saúde (CIS) no estado do Tocantins a partir da Reforma do Estado nos anos 90. Para tanto, busca-se, por meio de estudo documental, proceder a uma análise dos documentos, disponibilizados pela Secretaria do Estado de Saúde do Tocantins (Sesau-TO), a fim de refletir sobre a implantação dos consórcios. Os resultados das análises mostram que a Sesau-TO busca, desde 2013, a construção de oito ambulatórios nas regiões de saúde do Estado, a implementação de equipamentos e a aquisição de veículos para transporte sanitário. Apesar das benfeitorias almejadas, os CIS ainda não estão em atividade talvez em função de que os recursos financeiros para manter os custos com manutenção e com especialistas ficariam a cargo dos municípios. Embora o consórcio seja vantajoso politicamente para os gestores municipais, o comprometimento com esses gastos geraria um déficit no orçamento financeiro dos municípios.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Clique aqui para pesquisar os artigos por título.