PERCEPÇÃO DOS CIDADÃOS SOBRE OS PORTAIS DA TRANSPARÊNCIA DO GOVERNO ESTADUAL E DAS GESTÕES MUNICIPAIS EM PERNAMBUCO

Alann Inaldo Silva de Sá Bartoluzzio, Luiz Carlos Marques Dos Anjos, Milena Rayane Lopes Dos Santos, Rommel de Santana Freire

Resumo


Os portais da transparência vêm se consolidando como um canal de interação entre o governo e a sociedade, sen-
do um recurso que viabiliza a participação dos cidadãos no acompanhamento da implantação de políticas públicas,
das prestações de contas e na fiscalização dos recursos públicos. Conhecendo sua importância esse estudo buscou
avaliar, a partir da ótica dos indivíduos, a percepção dos pernambucanos em relação aos portais da transparência dos
governos municipais e da gestão estadual de Pernambuco. Através da aplicação de um questionário, elaborado com o
que preconiza a literatura e de aspectos relativos à utilização dos portais da transparência, 124 pernambucanos foram
entrevistados, sendo possível observar que pouco mais da metade dos entrevistados utilizam os portais, com baixa
frequência de acesso. Observou-se, também, problemas em localizar as informações demandadas, além de obstáculos
que abrangem a forma de disponibilização das informações, linguagem empregada e a dificuldades em utilizá-las. Nesse
aspecto, alguns problemas de acessibilidade poderiam ser solucionados com a disponibilização de um manual de na-
vegação, comentários explicativos para as informações financeiras e aplicação de ferramentas dinâmicas, como gráficos
e mapas. Ademais, verificou-se que os portais se destacam como uma ferramenta de aproximação do governo com a
sociedade e fiscalização da aplicação dos recursos públicos. Por fim, o estudo destaca a relevância em compreender as
demandas da sociedade sobre os portais eletrônicos para uma comunicação mais efetiva com o governo, auxiliando no
desenvolvimento de um instrumento mais assertivo para relação entre ambos.

Texto completo:

PDF

Referências


ANJOS, L. C. M.; BARTOLUZZIO, A. I. S. S. Análise de conglomerados do nível de transparência pública e indicadores socioeconômicos dos municípios pernambucanos. Anais do XIII Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, São Paulo, Brasil, 2016.

ALÓ, C. C. Uma abordagem para transparência em processos organizacionais utilizando aspectos. Tese de Doutorado, Departamento de Informática, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil, 2009.

ARAÚJO, J. G. N.; MIRANDA, L. C.; LAGIOIA, U. C. T. Um estudo sobre a evidenciação contábil dos governos estaduais do nordeste brasileiro sob a ótica da teoria da legitimidade e da hipótese dos custos políticos. Revista Registro Contábil - Recont, v. 6, n. 1, p. 71-91, 2015.

BONFIM, M. V. J. Transparência e accountability na comunicação pública: impactos da Lei de Acesso à Informação nos órgãos públicos paulistas. Dissertação de Mestrado, Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, 2015.

BRASIL. Portal da Transparência do Governo Federal (2016). Recuperado em 16 outubro, 2016, de http://www.portaltransparencia.gov.br/

CGU, Controladoria-Geral da União. Portal da Transparência do Governo Federal registra recorde de acessos em 2016 (2017). Recuperado em 23 janeiro, 2017, http://www.cgu.gov.br/noticias/2017/01/portal-da-transparencia-do-governo-federal-registra-recorde-de-acessos-em-2016

CGU, Controladoria-Geral da União. Acesso à Informação Pública: uma introdução à Lei 12.527 (2016). Recuperado em 17 outubro, 2016, de http://www.acessoainformacao.gov.br/central-de-conteudo/publicacoes/arquivos/cartilhaacessoainformacao.pdf, 2011

CRUZ, C. F.; SILVA, L. M.; SANTOS, R. Transparência da gestão fiscal: um estudo a partir dos portais eletrônicos dos maiores municípios do Estado do Rio de Janeiro. Contabilidade Gestão e Governança. v. 12, n. 13, p. 102-115, 2009.

CRUZ, C. F.; FERREIRA, A. C. S.; SILVA, L. M.; MACEDO, M. A. S. Transparência da gestão pública municipal: um estudo a partir dos portais eletrônicos dos maiores municípios brasileiros. Revista de Administração Pública, v. 46, n. 1, p. 153-176, 2012.

CUNHA FILHO, M. C.; XAVIER, V. C. S. Lei de acesso à informação: teoria e prática (1a ed) Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2014.

DIAS FILHO, J. M. A linguagem utilizada na evidenciação contábil: uma análise de sua compreensibilidade à luz da teoria da comunicação. Caderno de Estudos, v. 24, p. 38-49, 2000.

DUARTE, J. Comunicação Pública: estado, mercado, sociedade e interesse público (3a ed). São Paulo: Atlas, 2012.

FILGUEIRAS, F. Além da transparência: accountability e política da publicidade. Lua Nova, v. 84, p. 65-94, 2011.

FIGUEIREDO, V. S.; SANTOS, W. J. L. Transparência e controle social na administração pública. Temas de Administração Pública, v. 8, n. 1, p. 1-20, 2013.

FREIRE, F. R.; BATISTA, C. M. Como o cidadão avalia o portal? Um estudo com os usuários do portal da transparência do governo federal. Revista da Controladoria-Geral da União, v. 8, n. 13, p. 373-403, 2016.

HASWANI, M. F. Comunicação governamental: em busca de um alicerce teórico para a realidade brasileira. Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, v. 3, n. 4, p. 1-16, 2016.

HASWANI, M. F. Comunicação pública: bases e abrangências (1a ed). São Paulo: Saraiva, 2013.

JUAREZ, O. U. Análise dos emissores e receptores na comunicação de massa. Perspectivas Online, v. 1, n. 2, p. 111-120, 2007.

KERCKHOVE, D. Da democracia para a ciberdemocracia. In: Di Felice, M. Do Público para as Redes: A comunicação digital e as novas formas de participação social. São Caetano do Sul: Difusão Editora, 2008.

KUNSCH, M. M. K. Comunicação pública: direitos e cidadania, fundamentos e práticas. In: Matos, Heloiza (Org.). Comunicação pública: interlocuções, interlocutores e perspectiva. São Paulo: ECA-USP, 2013.

LEI COMPLEMENTAR nº 101/2000, de 4 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Recuperado em 14, janeiro, 2016, de https://www.planalto.gov.br

LEI COMPLEMENTAR nº 131/2009, de 27 de maio de 2009. Acrescenta dispositivos à Lei Complementar no 101, de 4 de maio de 2000, que estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal. Recuperado em 15, janeiro, 2016, de http://www.planalto.gov.br

LEI nº 12.527/11, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216 da Constituição Federal. Recuperado em 17, dezembro, 2016, de http://www.planalto.gov.br

MAFFESOLI, M. A comunicação sem fim: teoria pós-moderna da comunicação. Revista FAMECOS, v. 10, n. 20, p. 13-20, 2003.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas (1a ed). São Paulo: Atlas, 2007.

MATOS, H. Capital social e comunicação: interfaces e articulações (1a ed). São Paulo: Summus, 2009.

MATOS, N. B.; SILVA, M. C. S.; SILVA, J. D. G.; SOUZA, L. M. Avaliação de portais da transparência dos 30 municípios mais populosos da região nordeste. Revista Registro Contábil - Recont. v. 4, n. 2, p. 17-35, 2013.

MATTERLART, A.; MATTERLART, M. História das teorias da comunicação (1a ed). São Paulo: Loyola, 2011.

MELO, K. B.; MARTINS, G. A.; MARTINS, V. F. Análise do nível de transparência dos websites dos municípios mineiros. Revista de Auditoria, Governança e Contabilidade, v. 4, n. 9, p. 93-111, 2016.

MOTA, A. F.; COELHO, A. C. D.; QUEIROZ, L. L. "Teorias da Informação" e Teoria da Contabilidade: contribuição para tratamento da informação contábil. Anais do XIV Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, Brasil, 2014.

NEVES, O. M. C. Evolução das Políticas de Governo Aberto no Brasil. Anais do VI Congresso CONSAD, Brasília, Brasil, 2013.

NBC, NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE (2017). Contabilidade aplicada ao setor público: NBCs T 16.1 a 16.11. Conselho Federal de Contabilidade. Brasília: Conselho Federal de Contabilidade. Recuperado em 24, janeiro, 2017, de http://portalcfc.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2013/01/Setor_P%C3%BAblico.pdf, 2012.

RESENDE, W. C.; NASSIF, M. E. (2015). Aplicação da lei de acesso à informação em portais de transparência governamentais brasileiros. Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 20, n. 42, p. 1-16, 2015.

SAMPAIO, I. S. V. Conceitos e modelos da comunicação. Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense, v. 5, p. 1-23, 2001.

SOARES, A. T. N.; MONTEIRO, L. S. O contexto das organizações: uma leitura sobre suas configurações e seus processos comunicacionais. In: Oliveira, I. L. & Lima, F. P. (orgs). Propostas conceituais para a comunicação no contexto organizacional. São Caetano do Sul: Difusão Editora; Rio de Janeiro: Editora Senac, 2012.

STEVENSON, W. J. Estatística aplicada à administração (1a ed). São Paulo: Harba, 2001.

TORO, J. B. A construção do público: cidadania, democracia e participação (1a ed). Rio de Janeiro: Editora SENAC, 2005.

WRIGHT, G. A.; PAULO, E. Análise dos fatores determinantes da transparência fiscal ativa nos municípios brasileiros. Anais do VII Congresso ANPCONT, 17 a 20 de Agosto, Rio de Janeiro, Brasil, 2014.

ZUCCOLOTTO, R.; TEIXEIRA, M. A. C. As causas da transparência fiscal: evidências nos Estados brasileiros. Revista Contabilidade Financeira. v. 25, n. 66, p. 242-254, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Clique aqui para pesquisar os artigos por título.