UMA ANÁLISE CRÍTICA DA 3º CONFERÊNCIA DA EMPRESA LIMPA

Felipe Fróes Couto, Larissa Oliveira Silva, Alexandre de Pádua Carrieri

Resumo


O debate sobre corrupção na última década cresceu em meio a uma realidade permeada de escândalos. Nosso interesse ao longo deste trabalho é aprofundar qualitativamente a discussão sobre a ética e a corrupção nas organizações privadas por meio da análise dos discursos empresariais em relação à iniciativa ProÉtica. O ProÉtica é uma ação simbólica que promove o reconhecimento público de empresas comprometidas com a prevenção e o combate a corrupção e que se esforçam para promover ambiente coorporativo mais integro, ético e transparente. Buscamos compreender os sentidos da ética conforme os discursos proferidos neste evento. O problema de pesquisa proposto para este artigo, portanto, é o seguinte: como foram construídos os discursos sobre a ética empresarial pelos gestores premiados na 3º Conferência da Empresa Limpa promovida pela CGU em 2016? Trata-se de uma pesquisa aplicada e qualitativa com abordagem descritivo-analítica. Como método de investigação, foi utilizada a análise crítica do discurso (ACD). Nosso
ganho reside em remover as opacidades dos discursos apresentados e disponibilizar ao leitor uma fonte de reflexão sobre a forma pelas quais se moldam as relações sociais à contemporaneidade. Entendemos que o “risco da corrupção” não pode ser simplesmente superada pela adoção de práticas de estímulo e reforço, mas que o assunto deva ser amplamente
discutido com todos os setores da sociedade para que possamos, de forma ampla e democrática, repensar as práticas empresariais e as noções contemporâneas sobre ética nas organizações.


Palavras-Chave: Corrupção. Proética. Análise Crítica do Discurso.


Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Ana Rosa Camillo; DE PÁDUA CARRIERI, Alexandre. “Água de lona” e Sangue de serragem” nos discursos de sujeitos circenses. Organizações & Sociedade, v. 23, n. 77, 2016.

ALMEIDA, Filipe Jorge Ribeiro de. Ética e desempenho social das organizações: um modelo teórico de análise dos fatores culturais e contextuais. Rev. adm. contemp., Curitiba , v. 11, n. 3, p. 105-125, Set. 2007 .

AMORIM, Sônia Naves David. Ética na esfera pública: a busca de novas relações Estado/Sociedade. Revista do Serviço Público, v. 51, n. 2, p. 94-104, 2014.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Helena P. Martins. Temas de Filosofia. São Paulo: Moderna, 2005.

AVRITZER, Leonardo. Impasses da democracia no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2016, 154 pp.

CALZA, Morgana, Direito, Ditadura Militar e Constituição de 1988. Revista Jus Navigandi ISSN 1518-4862, Teresina, PI, 2015.

CAMPOS, Ruza Medina Zago; BOTELHO, Ducineli Régis. ÉTICA: UM ESTUDO COM SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. Revista Universo Contábil, v. 12, n. 1, p. 122, 2016.

CRUBELLATE, João Marcelo. Ética, técnica e a lógica institucional da autovigilância. Gestão e Sociedade, v. 11, n. 28, p. 1680-1703, 2016.

DE MELO, Iran Ferreira. Análise Crítica do Discurso: modelo de análise linguística e intervenção social. ESTUDOS LINGUÍSTICOS, v. 40, n. 3, p. 1335-1346, 2011.

DINIZ, Ana Paula Rodrigues. Mulheres gerenciáveis?: uma análise dos discursos sobre as mulheres na revista Exame. Dissertação (mestrado) Universidade Federal de Minas Gerais. Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração. Belo Horizonte, 2012;

DÓRIA, Og Roberto. Ética e profissionalização: a retomada da credibilidade da administração pública. 1994.

FAIRCLOUGH, Norman. Analysing discourse: Textual analysis for social research. Psychology Press, 2003.

. Análise crítica do discurso como método em pesquisa social científica/critical discourse analysis as a method in social scientific research. 2012.

LINSTEAD, S.; MARÉCHAL, G.; GRIFFIN, R. Special Issue on “The Dark Side of Organization”. Organization Studies, Call for Papers, v.31, p. 997-999, 2010.

MAGALHÃES, Célia M. A análise crítica do discurso enquanto teoria e método de estudo. Reflexões sobre a análise crítica do discurso/Célia Maria Magalhães (org)–Belo Horizonte: Faculdade de Letras, UFMG, p. 15-29, 2001.

MEDEIROS, Cintia Rodrigues de Oliveira. Inimigos públicos: crimes corporativos e necrocorporações. 2013. Tese de Doutorado.

NALINI, José Renato. Ética Geral e Profissional. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011.

SANTOS, Renato; AMORIM, Cristina; DE HOYOS, Arnoldo. Corrupção e Fraude – Princípios Éticos e Pressão Situacional nas Organizações. Journal on Innovation and Sustainability. RISUS ISSN 2179-3565, [S.l.], v. 1, n. 2, dec. 2010. ISSN 2179-3565.

SILVEIRA, Rafael Alcadipani da; MEDEIROS, Cintia Rodrigues Oliveira. Viver e morrer pelo trabalho: uma análise da banalidade do mal nos crimes corporativos. Organizações & Sociedade, v. 21, n. 69, p. 217-234, 2014.

SPECK, Bruno Wilhelm. Mensurando a corrupção: uma revisão de dados provenientes de pesquisas empíricas. In: Os custos da corrupção. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer, 2000.

WALKER, Harvey. Em prol de um Código de Ética para o serviço público. Revista do Serviço Público, v. 62, n. 1, p. 89-92,


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Clique aqui para pesquisar os artigos por título.