RECONHECIMENTO DE HAVERES E OBRIGAÇÕES DE LONGO PRAZO DECORRENTES DA CONTAGEM RECÍPROCA DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

Marcial Ramão Perez, Ducineli Régis Botelho

Resumo


O tema compensação financeira entre os regimes de previdência social está previsto na Emenda Constitucional nº 20, de 1998, que incluiu no artigo 201 da Constituição Federal a disposição de que, para efeito de aposentadoria do trabalhador, é assegurada a contagem recíproca de tempo de contribuição na administração pública e na atividade privada, hipótese em que os regimes de previdência social se compensarão financeiramente. Mediante uma análise crítica e descritiva sobre o conteúdo da legislação e dos procedimentos contábeis aplicáveis, tratou-se de avaliar a oportunidade que estes normativos e instrumentos legais, em especial a Certidão de Tempo de Contribuição, oferecem ao reconhecimento das Provisões Matemáticas Previdenciárias no Regime Próprio de Previdência Social do setor público federal e no Regime Geral de Previdência Social, bem como, a utilização destes instrumentos por um e outro regime. Os resultados sinalizam que valores a pagar e a receber, a longo prazo, a título de compensação previdenciária não estão sendo evidenciados nas Demonstrações Financeiras destas entidades. Constatou-se, também, que normativo dedicado a regrar as avaliações e reavaliações atuariais nos regimes próprios de previdência, veda o cômputo de valores a receber em virtude da compensação financeira nas estimativas de Provisões Matemáticas Previdenciárias de regimes que não operacionalizam a Compensação Previdenciária com o INSS, o que é incompatível com o princípio contábil da integridade.

Palavras-chave: Contagem Recíproca. Previdência Social. Provisões Matemáticas.


Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, André Carlos Busanelli de; CARDOSO, Ricardo Lopes. O reconhecimento contábil e as teorias contratuais da firma. Pensar Contábil, v. XI, p. 32-39, 2009. Disponível em: . Acesso em: 2 ago. 2014.

CARMO-NETO, Dionísio Gomes do. Metodologia científica para principiantes. 18. Ed. Salvador-BA : Editora Universitária Americana, 1992.

FINANCIAL Accounting Standards Board – FASB. Conceptual framework for financial accounting and reporting: elements of financial statements and their measurement. Fasb Discussion Memorandum, 1976.

FANTINEL, Rodrigo Sartori. Regimes Próprios de Previdência Social: o papel do controle na manutenção do equilíbrio financeiro e atuarial do sistema. 20º3. Dissertação. Disponível em: < http://hdl.handle.net/10183/3576>. Acessado em: 16 set. 2014.

GUIMARÃES, Leonardo José Rolim. Ministério da Previdência Social. Compensação financeira entre os regimes previdenciários (Também chamada de compensação previdenciária). In. V CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA, 2012, Brasília. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2014.

GUSHIKEN, Luiz et al. Regime Próprio de Previdência dos Servidores: Como Implementar? Uma Visão Prática e Teórica. Ministério da Previdência Social. Brasília, 2002 (Coleção Previdência Social: Série Estudos, v. 17). Disponível em: http://www.previdencia.gov.br /arquivos/office/3_081014-111359-413.pdf. Acesso em: 18 jul. 2014.

HENDRIKSEN, Eldon S.; VAN BREDA, Michael F. Teoria da Contabilidade. São Paulo : Atlas, 2012.

IUDÍCIBUS, Sérgio de. Teoria da contabilidade. 9ª ed. São Paulo: Atlas, 2009.

IUDÍCIBUS, Sérgio de et al., Manual de Contabilidade Societária. 2ª ed. São Paulo : Atlas, 2013.

KAM, Vernon. Accounting theory. 2nd.ed. New York: John Willey & Sons, 1990.

LIMA, Diana Vaz de; GUIMARÃES, Otoni Gonçalves. Contabilidade Aplicada aos Regimes Próprios de Previdência Social. Brasília: Ministério da Previdência Social, 2009 (Coleção Previdência Social: Série Estudos, v. 29). Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2014.

LIMA, Diana Vaz de; SANTANA, Cláudio Moreira Santana; GUEDES, Marianne Antunes. As Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao setor público e a legislação contábil pública brasileira: uma análise comparativa à luz da teoria contábil. In: Revista CONTABILIDADE, GESTÃO e GOVERNANÇA – Brasília, 2009. n. 2, p. 15 – 23. Disponível em: http://cgg-amg.unb.br/index.php/contabil/article/view/65/pdf_1. Acesso em: 25 ago. 2014.

NIYAMA, Jorge Katsumi; SILVA, Cesar Augusto Tibúrcio. Teoria da contabilidade. 1ª ed. São Paulo: Atlas, 2009.

NOGUEIRA, Narlon Gutierre. O Equilíbrio financeiro e atuarial dos RPPS: de princípio constitucional a política pública de Estado. --- Brasília, MPS, 2012. 336 p. -- (Coleção Previdência Social. Série Estudos; v. 34). Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2014.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. – São Paulo : Cortez, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.36428/revistadacgu.v8i12.57

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista da CGU

  


Para sugestões, comentários, dúvidas ou relatar problemas, entre em contato conosco.  

 
Licença Creative CommonsO conteúdo deste periódico está sob Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
 Os conteúdos publicados até 2019 têm permissão genérica para uso e compartilhamento com indicação obrigatória de autoria e origem.