Descobrindo a realidade por trás das afirmações da administração: Uma abordagem qualitativa para identificar achados de auditoria utilizando diagrama de evidências

Frederico Pinto de Souza

Resumo


No âmbito do poder público, diversos órgãos e entidades têm publicado normas e procedimentos com o objetivo de orientar e padronizar as atividades de auditoria. Apesar disso, estes padrões técnicos não fornecem suporte adequado à etapa de organização das evidências de maneira que seja possível reconstruir a realidade por trás das afirmações feitas pelo administrador acerca do gasto público auditado. O objetivo do presente artigo é estabelecer e apresentar um método de análise qualitativa que possibilite organizar as evidências em achados relevantes capazes de capturar e expressar a realidade por trás das afirmações feitas pelos administradores acerca dos gastos públicos. Para isso, um diagrama de evidências é inicialmente construído de modo a representar o relacionamento entre as variáveis, que representam as afirmações implícitas e explícitas feitas pelos administradores, e seus correspondentes itens de evidência, que retratam as informações coletadas durante a auditoria e que possibilitam concluir sobre a existência de suporte, ou não, a estas afirmações. Após a construção do diagrama, é desenvolvida uma análise qualitativa que visa, dentre outros objetivos, identificar eventuais relações de causa-efeito entre os itens de evidência. Com base neste conjunto de informações, os achados relevantes são determinados e comunicados. O método desenvolvido pode ser empregado em complemento aos padrões técnicos de auditoria atualmente em uso no âmbito do poder público.


Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDRINO, M.; PAULO, V. de. Direito Administrativo Descomplicado. 25. ed. São Paulo: Editora Método, 2017.

ARENS, A. A.; ELDER, R. J.; BEASLEY, M. S. Auditing and Assurance Services: an integrated approach. Boston: Prentice Hall, 2012.

BOVEE, M.; SRIVASTAVA, R. P.; MAK, B. A Conceptual Framework and Belief-Function Approach to Assessing Overall Information Quality. International Journal of Intelligent Systems, vol. 18, n. 1, p. 51 – 74, 2003.

BRASIL. Constituição Federal Brasileira de 1988. Brasília: Senado, 1988. Disponível em . Acesso em: 07 abr. 2018.

______. Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União. Manual de Orientações Técnicas da Atividade de Auditoria Interna do Poder Executivo Federal. Brasília, 2017. Disponível em http://www.cgu.gov.br/Publicacoes/auditoria-e-fiscalizacao/auditoria-e-fiscalizacao. Acesso em: 07 abr. 2018.

______. Tribunal de Contas da União. Padrões de Auditoria de Conformidade. Brasília, 2009. Disponível em http://portal.tcu.gov.br/controle-externo/normas-e-orientacoes/normas-tcu/auditoria-de-conformidade.htm. Acesso em: 07 abr. 2018.

BUDESCU, D. V.; PEECHER, M. E.; SOLOMON, I. The joint influence of the extent and nature of audit evidence, materiality thresholds, and misstatement type on achieved audit risk. Auditing: A Journal of Practice & Theory, vol. 31, n. 2, p. 19 – 41, 2012.

CARVALHO, J. C. O. de; SILVA, L. M. da. A Fiscalização Exercida Pelo Tribunal De Contas Do Município Do Rio De Janeiro – O Caso Fundet. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, vol. 9, n. 1, 2004.

DESAI, V.; ROBERTS, R. W.; SRIVASTAVA, R. P. An Analytical Model for External Auditor Evaluation of the Internal Audit Function Using Belief Functions. Contemporary Accounting Research, vol. 27, n. 2, p. 537 – 575, 2010.

DUTTA, S. K.; SRIVASTAVA, R. P. Aggregation of Evidence in Auditing: A Likelihood Perspective. Auditing: A Journal of Practice and Theory, vol. 12, p. 137, 1993.

ESPÍRITO SANTO. Secretaria de Estado de Controle e Transparência. Resolução CONSECT nº 004, de 30 de maio de 2018. Aprova a Norma de Procedimento SECONT nº 009 - Planejamento e Execução de Auditoria. Diário Oficial do Espírito Santo, Espírito Santo, 2018. Disponível em: http://dio.es.gov.br/. Acesso em: 06 jun. 2018.

FLOREA, R.; FLOREA, R. Audit techniques and audit evidence. Economy Transdisciplinarity Cognition, vol. 14, n. 1, p. 350 – 358, 2011.

FUKUKAWA, H.; MOCK, T. J.; SRIVASTAVA, R. P. Assessing the Risk of Fraud at Olympus and Identifying an Effective Audit Plan. The Japanese Accounting Review, vol. 4, n. 1, p. 1 – 25, 2014.

GAO, L.; MOCK, T. J.; SRIVASTAVA, R. P. An Evidential Reasoning Approach to Fraud Risk Assessment under Dempster-Shafer Theory: A General Framework. In: 44th Hawaii International Conference on System Sciences, 04-07 jan., 2011, Kauai, Hawaii. Anais. Kauai: HICSS, 2011.

GIACOMONI, J. Orçamento Público. 14. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2007.

GRONEWOLD, U. The Probative Value of Audit Evidence The State of the Art and Avenues towards a General Theory. In: 16th National Auditing Conference, 31–01 abr., 2006, Manchester, Inglaterra. Anais. Manchester: NAC, 2006. Disponível em: http://static.aston.ac.uk/asig/2006-NAC.htm. Acesso em: 07 abr. 2018.

HARRISON, K.; SRIVASTAVA, R. P.; PLUMLEE, R. D. Auditors’ evaluations of uncertain audit evidence: Belief functions versus probabilities. In Belief Functions in Business Decisions. New York: Heidelberg, 2002. p. 161-183.

LIMA, T. C. S. de; MIOTO, R. C. T. Procedimento Metodológico na Construção do Conhecimento Científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katálysis, Florianópolis, vol. 10, n. esp., p. 37 – 45, 2007.

MOCK, T. J. et al. An evidential reasoning approach to Sarbanes-Oxley mandated internal control risk assessment. International Journal of Accounting Information Systems, vol. 10, n. 2, p. 65 – 78, 2009.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D. de; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, vol. 1, n. 1, 2009.

SRIVASTAVA, R. P. Belief Functions and Audit Decisions. Auditor’s Report, vol. 17, n. 1, p. 8 – 12, 1993.

SRIVASTAVA, R. P. The belief-function approach to aggregating audit evidence. International Journal of Intelligent Systems, vol. 10, n. 3, p. 329 – 356, 1995.

SRIVASTAVA, R.; MOCK, T. Evidential reasoning for WebTrust assurance services. Journal of Management Information Systems, vol. 16, n. 3, p. 11 – 32, 1999.

SRIVASTAVA, R. P.; LU, H. Structural analysis of audit evidence using belief functions. Fuzzy Sets and Systems, vol. 131, n. 1, p. 107 – 120, 2002.

SUN, L.; SRIVASTAVA, R. P.; MOCK, T. J. An Information Systems Security Risk Assessment Model Under the Dempster-Shafer Theory of Belief Functions. Journal of Management Information Systems, vol. 22, n. 4, p. 109 – 142, 2006.

SRIVASTAVA, R. P. Representation of Interrelationships among Binary Variables under Dempster-Shafer Theory of Belief Functions. International Journal of Intelligent Systems, vol. 24, n. 4, p. 459 – 475, 2009.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, vol. 31, n. 3, 2005.

ZAKARI, M. A. Does audit evidence type effects on quality of auditor’s opinion? In: International Conference "Financial Distress: Corporate Governance and Financial Reporting Issues", 17-18 0ut., 2013, Roma, Itália. Anais. Roma: Financial Distress, 2013. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=2327827. Acesso em: 07 abr. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Clique aqui para pesquisar os artigos por título.